DESTAQUES

kratos real em novo trailer de god of warJÁ OUVIU O NOSSO PODCAST?jason stathan metendo porradatocha humanahomenagem postumaluta mma epicacanhao caseiroblack ops prison breakjacare caganeiraAPP PIRULITO SEM FIOcome comemini rinogorderiablu ray

terça-feira, 16 de agosto de 2011

OS CRIMES DO FACEBOOK


1- A mulher que foi presa por "cutucar" outra pessoa
 

A usuária Shannon Jackson, do Tennessee, nos Estados Unidos, cutucou uma pessoa que não devia no Facebook. O problema é que Shannon estava judicialmente proibida de chegar perto dessa pessoa por causa de uma ordem de restrição. No Estado dela, violar essa ordem merece punição de 29 dias a 11 meses de prisão, além de uma multa que pode ir até US$ 2,5 mil.




2- O homem que foi preso após fingir ser um príncipe marroquino 

Por mais que nos Estados Unidos e no Brasil, por exemplo, seja normal existir uma série de perfis falsos de celebridades e personalidades nas redes sociais, o governo do Marrocos, na África, não é tão fã da ideia. Em 2008, Fouad Mourtada foi preso e acusado por "prática maldosa" depois de fingir ser o irmão do Rei Mohammed VI.


3- Detetive que postou fotos de uma cena de crime na rede social 

Mark Musarella, um plantonista de emergência médica do Departamento de Polícia de Nova York, postou no Facebook fotos da cena do crime que ele foi socorrer. A mulher das fotos era Caroline Wimme. O policial de 48 anos foi setenciado a 200 horas de trabalho comunitário por falta de conduta. Além disso, ele foi demitido e perdeu a licença para trabalhar.


4- A mulher que foi sentenciada ao decapitar um rato e publicar vídeo 

Naomi Anderson, uma jovem de Queensland, na Austrália, foi sentenciada a 180 horas de serviço comunitário depois de cortar a cabeça de um rato, filmar a ação e postar o vídeo no Facebook, mostrando que o animal levava 40 segundos para morrer.


5- Pré-adolescentes acusadas de perseguição cibernética
 

Duas pré-adolescentes dos EUA foram acusadas de ciberperseguição após invadirem a página do Facebook de uma colega de classe e postar lá fotos e mensagens de teor sexual explícito. As garotas, de 11 e 12 anos, também entraram no bate-papo da vítima e marcaram encontros sexuais com vários garotos. A situação, primeiramente desprezada pelo colégio delas, virou caso de polícia.


6- O casal que foi preso após comer uma espécie rara de iguana
 

O casal Vanessa Starr Palm, 23 anos, e Alexander Daniel Rust, 24, ambos dos Estados Unidos, foram parar na cadeia depois que a polícia encontrou fotos deles no Facebook comendo uma espécie rara de iguana. Aparentemente, as fotos chegaram às mãos dos policiais por diversas denúncias. Elas continham o momento da caça, partes do animal na churrasqueira, além de pessoas comendo a iguana. O casal foi acusado de violar a proteção animal e foi multado em US$ 500 cada um. O caso ainda não foi encerrado e eles devem voltar à corte nos EUA.


7- Jovem que admitiu contratar um matador de aluguel para matar uma mulher
 

Um adolescente pode encarar de 11 a 22 anos de prisão após admitir que tentou contratar um matador de aluguel para matar uma mulher que o acusou de estupro. Em julho de 2010, a mulher foi à polícia depois que o jovem postou a mensagem "US$ 500 pela cabeça de uma garota". O caso ainda está em andamento na justiça dos Estados Unidos.


8- O homem que foi para a prisão depois de um pedido de amizade no Facebook
 

Um homem de 37 anos do Reino Unido tinha uma ordem de restrição de distância em relação à mulher dele. Ao solicitar um pedido de amizade, o homem foi preso por 10 dias. Em defesa, ele justificou que ficou confuso com os procedimentos do Facebook.


9- Jovem que escreveu sobre banheiros inundados na rede social
 

Um adolescente de 16 anos de Portsmouth, na Inglaterra, escreveu no Facebook sobre a inundação que provocou nos banheiros de uma biblioteca pública da cidade dele, causando reparos de US$ 247 mil. Depois da postagem na rede social, ele foi chamado para depor e confessou ter usado papel para tapar os ralos das pias e ter aberto as torneiras do banheiro masculino do 3º andar da biblioteca. Em um primeiro momento, ele alegou inocência. Mas a polícia encontrou uma resposta dele a um amigo no Facebook que perguntava sobre a inundação. O jovem respondeu: "Sim. Eu não falei sobre isso. Só alguns amigos sabem".

Nenhum comentário:

Postar um comentário