Acredito que muitos daqueles que assistiram “Batman – O Cavaleiro das Trevas Ressurge” no final de semana, saíram do cinema com uma pulga atrás da orelha: “onde está o Coringa?”
A trágica morte de Heath Ledger obviamente impediu
que o personagem pudesse aparecer no final da trilogia. Mas o Coringa sobreviveu aos acontecimentos do segundo longa, então em algum lugar de Gotham ele deveria estar.
Bem, a interpretação de um fã sobre o livro de “Batman – O Cavaleiro das Trevas Ressurge” pode trazer uma explicação satisfatória para todos.
Óbvios spoilers sobre o último filme do Homem Morcego virão a seguir. Continuem lendo por sua conta e risco.
Uma coisa que aprendemos, é que o “Ato Dent” (a lei criada em homenagem Harvey Dent) impedia qualquer criminoso de escapar de seu julgamento alegando insanidade. Assim, os internos do Asilo Arkham foram todos transferidos para a prisão Blackgate.
Todos… com exceção do Coringa, que permaneceu como o único paciente do lugar. Mesmo assim, sua presença no hospital psiquiátrico não era uma certeza, sendo ele quem é, poderia muito bem ter escapado.
Esta é a versão que temos no livro criado com base no roteiro do longa. Muitas vezes, estas adaptações literárias trazem cenas diferentes das apresentadas nos filmes, pois são lançadas antes dos mesmos, que acabam muitas vezes tendo suas histórias alteradas para melhor se adaptarem ao gosto do público.
No livro de “Transformers – O Lado Oculto da Lua”, Optimus e Megatron fazem uma trégua no final da história e o líder Decepticon volta para se planeta natal, a fim de reconstruí-lo. Quem viu o filme sabe que não foi este o final que Michael Bay escolheu.
Outra versão para a aparição do Coringa foi criada pelo artista Sam Saxton, que desenvolveu um “storyboard” sobre como ele imagina que poderia ser uma aparição do Coringa em “Batman – O Cavaleiro das Trevas Ressurge”.
Clique na imagem abaixo para ver o storyboard completo.
Na versão de Saxton, o Coringa estaria na prisão Blackgate com os demais detentos. No momento que Bane os libertasse, sua cela seria a única que não abriria, apesar das tentativas de seu “morador” de forçar a porta.
E isso faria todo o sentido do mundo. Bane não deixaria uma entidade tão voltada para o caos a solta na cidade. O Coringa poderia facilmente atrapalhar seus planos, algo que o gigante mascarado sem dúvida teria previsto.
Esta cena poderia ter sido facilmente filmada com um sósia e alguma computação gráfica, tanto como uma referência ao Coringa, quanto a uma homenagem a Heath Ledger. Simplesmente ignorar seu personagem após todo o impacto que ele teve no segundo filme, me parece algo um pouco forçado em minha opinião.
Não que isso apague o brilho da conclusão da saga. Mas que todos gostaríamos de ver o príncipe palhaço do crime mais uma vez, isso ninguém pode negar.